01 - CAMPUS MARINGÁ 3. TESES E DISSERTAÇÕES PROMOÇÃO DA SAÚDE
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/950
Tipo: Dissertação
Título: M-Health e empoderamento em saúde: proposta alternativa para o fortalecimento das ações de controle do câncer do colo do útero
Autor(es): BILOTTI, Carolina Correia
Primeiro Orientador: BERNUCI, Marcelo Picinin
metadata.dc.contributor.advisor-co1: MACUCH, Regiane da Silva
Abstract: Introdução: Embora o câncer de colo do útero (CCU) seja umas das neoplasias mais incidentes da população feminina, se for diagnosticado precocemente, seu potencial de cura pode chegar a 100%. Até o momento, as ações de controle dessa doença no Brasil, baseiam-se no rastreamento das lesões precursoras, porém, esse é realizado de maneira oportunista, propiciando à população-alvo autonomia para aderir ou não ao programa. Nesse contexto, o empoderamento da população-alvo é de suma importância, levando-lhes informações sobre os métodos preventivos, afim de auxiliar no fortalecimento das ações de controle desse tipo de câncer. Objetivo: Sendo assim, o objetivo da presente dissertação foi propor a utilização do m-Health no empoderamento das mulheres foco do programa de controle do CCU. Metodologia: Trata-se de quatro estudos independentes realizados nas Unidades Básicas de Saúde e Clínica da Mulher do município de Maringá/Pr. O público-alvo foram as mulheres acima de 20 anos, foco dos programas de controle do CCU. Os estudos foram realizados em três etapas: a primeira, refere-se a análise dos prontuários eletrônicos das pacientes encaminhadas para Clínica da Mulher, as quais apresentaram laudo do exame Citopatológico com alteração. Na segunda etapa, foram aplicados questionários às mulheres atendidas pelas equipes da estratégia da família a fim de identificar o perfil de acesso às tecnologias e conhecimentos sobre temas relacionados com o CCU. A etapa 3, refere-se à construção de layout de um aplicativo direcionado ao CCU. Resultados: Os resultados foram organizados na forma de quatro artigos. O primeiro estudo mostrou que entre os anos de 2009 a 2015, houve no município, um maior predomínio do diagnóstico de neoplasias malignas do colo do útero, pois dos 173 prontuários analisados, 101 referiram-se a essas malignidades. Verificou-se também, que a conduta de tratamento mais adotada foram as cirurgias. Em relação ao tempo decorrido entre o diagnóstico e encaminhamento para a conduta terapêutica adequada, percebeu-se um intervalo de 2 a 15 dias. No segundo estudo, investigamos a percepção das mulheres foco das ações de rastreio do CCU sobre os métodos preventivos e acesso as tecnologias. Das 396 participantes do estudo, 87% sabem o que é CCU e 93% sabem da existência dos exames preventivos e como 89,11% das mulheres possuem celulares, 50,63% delas preferem acessar a internet por meio do celular. No terceiro estudo mostramos que aquelas que acessam a internet com maior frequência, principalmente redes sociais, estão mais sujeitas a comportamentos de risco para o CCU, no entanto, as que a utilizam para realizar pesquisas ou acessar portais do governo, possuem maiores chances de consultarem regularmente ginecologistas e conhecerem a vacina contra o HPV. O quarto artigo apresentou um layout de um aplicativo destinado ao empoderamento das mulheres foco das ações de controle do CCU. Conclusão: O resultados obtidos no artigo 1 sugerem que as lesões têm sido diagnosticadas tardiamente e a adesão ao rastreio não têm sido eficiente. Os dados do artigo 2 sugerem que, embora detentoras de informações básicas, as mulheres ainda não aderem com eficiência ao rastreio. As informações do artigo 3 apontam a potencialidade da internet como ferramenta de educação em saúde, desde que a qualidade e clareza da informação disponibilizada promova empoderamento. O quarto e último estudo aponta a importância dos aplicativos em saúde utilizarem linguagem clara e simples, com conteúdos técnicos ressaltando o uso de imagens e tabelas, além do uso de frases curtas e com fontes grandes, produzindo um conteúdo atrativo e de fácil compreensão.
Palavras-chave: promoção da saúde
educação em saúde
tecnologias
informação
Idioma: por
País: Brasil
Editor: UNIVERSIDADE CESUMAR
Sigla da Instituição: UNICESUMAR
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/950
Data do documento: 30-Dez-2017
Aparece nas coleções:PROMOÇÃO DA SAÚDE

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
CAROLINA CORREIA BILOTTI.pdfDissertação2.57 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.