EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica IV EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (19 a 22 de Outubro de 2005)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/7092
Tipo: Artigo
Título: UTILIZANDO SIMULAÇÃO MONTE-CARLO PARA A AVALIAÇÃO DO TAMANHO E PODER DOS TESTE t-Student E Wilcoxon
Autor(es): BARROS, Emílio Augusto Coelho
MAZUCHELI, Josmar
Resumo: Um dos problemas mais comuns em estatística consiste em testar a hipótese H0: μ = μ0 versus a alternativa H1: μ ≠ μ0, em que μ0 é algum valor específico de μ. A partir de uma amostra aleatória, sob a suposição de que a mesma é proveniente de uma distribuição Normal com média μ e desvio padrão σ, ambos desconhecidos, pode-se aplicar o bem conhecido teste t-Student. Como alternativa, sob a suposição de simetria da distribuição dos dados, pode-se utilizar o teste não paramétrico conhecido na literatura como teste de Wilcoxon (Conover, 71). Neste trabalho é conduzido um estudo de simulação Monte-Carlo com o intuito de avaliar o tamanho e o poder dos testes t-Student e de Wilcoxon, sob diferentes instâncias. Para o cálculo do tamanho de ambos os testes, são realizadas B = 100000 simulações com 10 diferentes tamanhos de amostras, n = 10,20,...,90,100. Cada uma das B = 100.000 amostras são geradas das distribuições Normal, Laplace, Uniforme, t-Student e Logística sob a hipótese nula com μ = 0. Para o calculo do poder, novamente B=100000 amostras são geradas sob a hipótese alternativa com μ0 = -1.0,-0.9,...,0.9,1.0. Foi possível observar que para a distribuição Normal os valores dos tamanhos dos testes t-Student e Wilcoxon se comportam de maneira similar e estão sempre próximos dos níveis de significância nominais independente do tamanho da amostra. Para a distribuição Logística, em ambos os testes, o tamanho empírico se aproxima do nível de significância a medida que o tamanho da amostra aumenta. Para n = 30, ambos os testes são conservativos, entretanto seus comportamentos são similares as amostras provenientes da distribuição Normal. O comportamento do tamanho do teste de Wilcoxon para a distribuição de Laplace é bem diferente do teste t-Student principalmente para n = 60 em que a hipótese de que o tamanho empírico é igual ao tamanho nominal sempre é rejeitada em nível de significância de 1\%. Comportamento similar é observado para as distribuições t-Student e Uniforme. Como observação, o tamanho do teste de Wilcoxon estão na maioria das instâncias, próximo do nível de significância para qualquer distribuição, independentemente do tamanho da amostra. Este fato esta relacionado com o fato de que o teste de Wilcoxon é baseado na suposição de simetria. Com relação ao poder, foi possível observar que a medida que a hipótese alternativa se afasta de μ =0, e o tamanho da amostra aumenta o poder dos testes se aproximam de 1. Ambos os testes se comportam similarmente quando a distribuição é Normal e Logística, porém, para as demais distribuições, o teste de Wilcoxon apresenta um poder maior do que o teste t-Student.
Palavras-chave: Tamanho e poder do teste
Simulação monte carlo
Teste t-student e wilcoxon
Idioma: por
País: Brasil
Editor: UNIVERSIDADE CESUMAR
Sigla da Instituição: UNICESUMAR
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/7092
Data do documento: 19-Out-2005
Aparece nas coleções:IV EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (19 a 22 de Outubro de 2005)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
emilio_augusto_coelho_barros.pdf12.12 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.