EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica IV EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (19 a 22 de Outubro de 2005)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/7018
Tipo: Artigo
Título: INFLUÊNCIA DO EXERCÍCIO FÍSICO DURANTE A REABILITAÇÃO CARDÍACA NO PÓS-OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCARDIO: RELATO DE CASO
Autor(es): RODRIGUES, Cinthia Paris
GOMES, Elenice
Resumo: Com o aumento da expectativa de vida e da faixa etária da população brasileira, a tendência do número de pessoas que necessita de algum tipo de intervenção cardiovascular aumentará de forma significativa. A doença cardiovascular se descreve como qualquer processo patológico que envolva as artérias coronárias, ou o coração propriamente dito podendo ocasionar isquemia miocardica resultando em sinais e sintomas, achados clínicos e até mesmo anormalidades em exames complementares. Apesar da grande evolução sobre tratamento e novos procedimentos que apontaram nas últimas décadas em relação às patologias cardiovasculares, a doença arterial coronariana (DAC) continua com taxas elevadas. No pós-operatório, a maioria dos pacientes apresentam alguma combinação de taquipnéia, taquicardia, diminuição da complacência pulmonar, atelectasias e/ou pneumonias, diminuição de volumes e capacidades pulmonares, dificuldade para realização de exercícios, falta de condicionamento físico e dificuldades nas atividades de vida diária. O objetivo deste estudo foi avaliar a evolução clínica de uma paciente que se encontra no pós-operatório de revascularização do miocárdio e apresentar considerações sobre a doença e a cirurgia. Para a realização deste estudo, foi selecionada uma paciente do ambulatório de Cardiologia e Pneumologia da clínica de Fisioterapia do Cesumar que se encontrava com um mês de pós-operatório de revascularização do miocárdio. Pela sua avaliação seu tratamento foi direcionado para a fase 2 (alta hospitalar) e posteriormente evolução para a fase 3 (condicionamento físico). A paciente realizou doze semanas de tratamento com três sessões semanais e duração de 45 minutos cada. Para a fase 3, ou seja, condicionamente físico foi feito a estimativa da freqüência cardíaca de treinamento através da fórmula de Karvonen, e durante esta fase de foi aferido a pressão arterial e a freqüência cardíaca de cinco em cinco minutos. Após o término do tratamento, foi realizado o cálculo do duplo produto cardíaco de repouso, na qual os resultados demonstraram uma redução de 44 % do trabalho cardíaco. Desta forma, acreditamos que os efeitos do exercício físico durante a reabilitação cardíaca apresenta grande importância no prognóstico destes pacientes o que se faz necessário que o princípio da sobrecarga seja sempre respeitado e que as orientações da importância da continuidade do exercício pós-alta seja cumprida pelo paciente para que assim não ocorra o processo da reversibilidade predispondo o paciente a novas complicações cardiovasculares.
Palavras-chave: Reabilitação cardíaca
Revascularização do miocardio
Doença arterial coronariana
Idioma: por
País: Brasil
Editor: UNIVERSIDADE CESUMAR
Sigla da Instituição: UNICESUMAR
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/7018
Data do documento: 19-Out-2005
Aparece nas coleções:IV EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (19 a 22 de Outubro de 2005)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
cinthia_paris_rodrigues2.pdf12.25 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.