EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica IV EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (19 a 22 de Outubro de 2005)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/6969
Tipo: Artigo
Título: A VITAMINA E COMO UMA OPÇÃO PARA O TRATAMENTO DA DOENÇA DE ALZHEIMER - UMA REVISÃO DA LITERATURA
Autor(es): MERLIN, Ana Paula
MELLA, Eliane
Resumo: A doença de Alzheimer é uma doença degenerativa que destrói as células do cérebro, lenta e progressivamente, afetando o funcionamento mental (pensamento, fala, memória). Com o avanço da moléstia, o paciente começa a perder hábitos, como o da higiene pessoal, e a manifestar alterações de comportamento, como ansiedade, agressividade, sendo normalmente associado à formação, no cérebro, de placas de uma substância chamada beta-amilóide. Este processo esta relacionado com mutações no DNA, nos lipídios de membrana, em enzimas, através de espécies reativas quem podem ser geradas nos produtos da fosforilação oxidativa, sendo que existem mecanismos de defesa através dos antioxidantes, como o α-tocoferol (vitamina E) encontrada em alimentos como mel, cereais, ervilha e alface (ou obtida em forma de suplementos alimentares) sendo uma poderosa substância que combate os chamados radicais-livres, consistindo como um mecanismo de limpeza do organismo. Hoje, existem alvos possíveis para a intervenção terapêutica com drogas neuroprotetoras, mas a atividade nessa área é intensa. OBJETIVO: Demonstrar a efetividade da vitamina E no tratamento de Alzheimer. METODOLOGIA: Este estudo foi realizado com base de livros de Farmacologia Clínica, sites científicos e artigos da internet. DISCUSSÃO: Uma vez estabelecida o diagnóstico da doença, a utilização da vitamina E (por apresentar uma ação antioxidante), seria capaz de impedir a propagação das reações induzidas pelos radicais livres, ou seja, o alfa-tocoferol atuaria como ação protetora das funções neurológicas, minimizando os danos provocados por estes no desenvolvimento da doença, sendo que o mecanismo de ação da vitamina E não está totalmente elucidado, mas sabe-se que é um fator importante, não só como antioxidante como também no equilíbrio da função neurológica. CONCLUSÃO: A vitamina E é amplamente distribuída nos alimentos, sendo que a ingestão diária deste suplemento poderia prevenir a doença, mas não se sabe a quantidade exata que seria necessária para evitar a progressão do Mal de Alzheimer
Palavras-chave: Vitamina e
Mal de alzheimer
Antioxidantes
Idioma: por
País: Brasil
Editor: UNIVERSIDADE CESUMAR
Sigla da Instituição: UNICESUMAR
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/6969
Data do documento: 19-Out-2005
Aparece nas coleções:IV EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (19 a 22 de Outubro de 2005)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ana_paula_merlin.pdf12.04 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.