EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica VI EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (27 a 30 de Outubro de 2009)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/6114
Tipo: Artigo
Título: O ESTUDO DA RECREAÇÃO COMO FATOR DE MELHORIA DA INTERAÇÃO SOCIAL DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL DE UMA ESCOLA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL DE PAIÇANDU-PR
Autor(es): MARTINS JÚNIOR, Joaquim
WOLFF, Niara Calaresi
LENARDON, Janaina Marino
SILVA, Vanessa Moreti da
Resumo: A recreação é um dos principais fatores na interação social de pessoas com necessidades especiais, pois infelizmente essa população que é tão carente de atenção e carinho ainda sofrem muitos preconceitos em nossa sociedade. Em muitos grupos, escolas ou instituições, as pessoas com deficiência intelectual recebem atividades individualizada, com o objetivo de melhorar os seus movimentos e aprender conteúdos escolares não sobrando tempo para brincar, criar, relaxar e interagir com outras pessoas. Sendo assim, este trabalho visou estudar o processo de interação social de alunos portadores de deficiência intelectual, quando submetidos a um programa com atividades recreativas. O levantamento inicial dos dados foi obtido através de um sociograma, aplicado aos alunos no início da prática das atividades recreativas, sendo o local da coleta na sala de reuniões da Escola de Educação Especial – APAE, de Paiçandu no ano de 2009. Em seguida serão aplicadas atividades recreativas na própria escola, durante um bimestre. Ao terminar o bimestre com atividades recreativas, novamente entregarei aos alunos um novo sóciograma, no qual foi elaborado com questões fechadas, para saber como anda o relacionamento desses alunos com sua turma escolar, e questões abertas sobre dados pessoais. Após o preenchimento do pósteste, será feita a comparação do pré e pós-teste para poder verificar se houve ou não melhora na interação social dos alunos, após serem realizadas as atividades recreativas. Os dados obtidos no pré-teste, em relação à interação desses alunos, foram analisados quantitativamente, com os resultados mostrando que o grupo não está totalmente dividido, não tendo sido encontrado grupos fechados, mas, pelo contrário, muitos integrantes gostam de se relacionar com os alunos que mais se destacaram, e isso acaba envolvendo quase que toda a turma. Observou-se também, que a maioria do grupo pesquisado não pratica nenhuma atividade recreativa além das atividades praticadas na escola. Sobre a satisfação em relação ao grupo em que eles pertencem, pode-se concluir que 84,21% estão muito satisfeitos com seus relacionamentos em grupo. Espera-se, no final da pesquisa, que haja uma maior interação uns com os outros, e que as atividades recreativas que serão aplicadas contribua para uma maior interação dos alunos que ainda não estão totalmente integrados ao grupo.
Palavras-chave: Deficiência intelectual
Interação social
Recreação
CNPq: .
Idioma: por
País: Brasil
Editor: UNIVERSIDADE CESUMAR
Sigla da Instituição: UNICESUMAR
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/6114
Data do documento: 27-Out-2009
Aparece nas coleções:VI EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (27 a 30 de Outubro de 2009)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Niara_Calaresi_Wolff_Souza.pdfTrabalho apresentado no VI Encontro Internacional de Produção Cientifica (27 a 30 de outubro de 2009)51.87 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.