01 - CAMPUS MARINGÁ 3. TESES E DISSERTAÇÕES PROMOÇÃO DA SAÚDE
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/575
Tipo: Dissertação
Título: Associação entre comportamento de risco relativo à prática de exercício físico e consumo de frutas/hortaliças com o estado nutricional de estudantes universitários
Autor(es): BARBOSA, Marileisa
Primeiro Orientador: MARQUES, Andréa Grano
metadata.dc.contributor.advisor-co1: GUEDES, Dartagnan Pinto
Abstract: O ingresso para o ensino superior é um período em que os estudantes encontram-se mais vulneráveis e expostos a fatores ambientais que podem, positiva ou negativamente, influenciar na opção por assumir comportamentos de risco à saúde. Entre esses comportamentos, destacam-se os hábitos alimentares inadequados e a inatividade física. Nesse sentido, o objetivo deste estudo foi identificar frequências de prática de exercício físico e consumo de frutas/hortaliças e suas possíveis associações com estado nutricional em amostra representativa de universitários do Centro Universitário UniCesumar, Maringá, Paraná. Trata-se de um estudo do tipo transversal, quantitativo de caráter exploratório, com coleta de dados primários. A amostra foi composta por 1177 universitários, sendo (666) estudantes do sexo feminino e (511) do sexo masculino, com idade ≤ que 18 anos, regularmente matriculados em um dos 44 cursos de graduação ofertados pela instituição, no ano letivo de 2014. O cálculo amostral foi baseado no número total de alunos matriculados (11314), assumindo intervalo de confiança de 95%, erro amostral de três pontos percentuais e acréscimo de 10% para atender casos de perdas na coleta dos dados. O instrumento utilizado para a coleta de dados foi o questionário National College Health Assessment (NCHA-II), traduzido, adaptado e validado para utilização na população universitária brasileira. Os resultados demostraram que prática de exercícios cardiorrespiratórios e resistidos foi relatado por 51,5% e 32,5% da amostra, respectivamente. Menos de 4% dos universitários apresentou consumo adequado de frutas/hortaliças. Sexo, idade, situação conjugal, moradia, ano e turno de estudo influenciaram significativamente a frequência de prática de exercício físico e consumo de frutas/hortaliças. Proporção de ocorrência de excesso de peso corporal se aproximou dos 32,4%, significativamente mais elevada nos rapazes (45,6% vs 22,33%; p < 0,005). Risco de identificar excesso de peso corporal em universitários que relataram não consumir frutas/hortaliças diariamente foi aproximadamente de duas a três vezes maior que em seus pares que relataram consumo adequado (moças: OR = 2,89; 95% IC 2,28 – 3,62; rapazes: OR = 1,96; 95% IC 1,44 – 2,60). Exposição de risco para excesso de peso corporal foi progressivamente menor de acordo com maior frequência relatada de prática de exercícios cardiorrespiratórios. A partir desses resultados, pode-se concluir que a maioria dos estudantes universitários apresentaram níveis insuficientes de exercício físico e baixo consumo de frutas e/ou vegetais. Portanto, há necessidade de ações preventivas que promovam comportamentos e estilo de vida saudáveis entre os estudantes universitários, a fim de melhorar a qualidade de vida desta população.
Palavras-chave: Estudante universitário
Comportamentos de risco
Ingestão de frutas e verduras
Exercício físico
Promoção da saúde
Idioma: por
País: Brasil
Editor: UNIVERSIDADE CESUMAR
Sigla da Instituição: UNICESUMAR
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/575
Data do documento: 24-Fev-2016
Aparece nas coleções:PROMOÇÃO DA SAÚDE

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MARILEISA BARBOSA.pdfDissertação5.77 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.