01 - CAMPUS MARINGÁ 3. TESES E DISSERTAÇÕES PROMOÇÃO DA SAÚDE
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/545
Tipo: Dissertação
Título: Fatores preditores para adesão ao tratamento dos hipertensos do Sistema Hiperdia de Maringá - PR
Autor(es): SOUZA, Alcione Oliveira de
Primeiro Orientador: YAMAGUCHI, Mirian Ueda
metadata.dc.contributor.advisor-co1: RAMOS, Edivan Rodrigo de Paula
Abstract: INTRODUÇÃO: A hipertensão arterial sistêmica é uma doença crônica considerada um grande problema de saúde pública por ser uma das causas mais importantes de morbimortalidade da população mundial. Trata-se de doença crônica degenerativa que tem alta prevalência e baixas taxas de controle, embora seu diagnóstico e tratamentos sejam simples. OBJETIVOS: Identificar o perfil dos hipertensos do sistema HiperDia e conhecer os preditores da adesão à terapia anti-hipertensiva correlacionados ao estilo de vida dos usuários das Unidades Básicas de Saúde de Maringá-PR. MÉTODO: transversal do tipo descritiva exploratória, com abordagem quantitativa. Foram entrevistados 401 pacientes a partir do cálculo amostral com base na população de 27.072 hipertensos cadastrados nas 29 UBS de Maringá-PR. Para obtenção das informações referentes ao perfil do hipertenso, adesão à terapia e nível de qualidade de vida foram aplicados um questionário estruturado com questões sócio-demográficas, o teste de Morisky-Green e o instrumento Estilo de Vida Fantástico, respectivamente. Utilizou-se estatística descritiva, análise de freqüência relativa e absoluta. Para associação dos dados foram calculadas as odds ratios. O teste de associação (qui-quadrado) foi realizado no ambiente estatístico R (P<0,05). Para análise das razões de chances utilizou-se a regressão logística univariada e multivariada. RESULTADOS: Os resultados obtidos demonstraram que a adesão à terapia anti-hipertensiva foi 37,7%. As mulheres representaram 70% das usuárias cadastradas no sistema HiperDia e apresentaram mais que o dobro de chances de adotarem a terapia quando comparadas aos homens. Identificou-se como fatores preditivos para a não adesão ao tratamento anti-hipertensivo as variáveis ser solteiro, apresentar sobrepeso ou obesidade e retornar ao serviço de saúde para acompanhamento da hipertensão em intervalo de 12 meses ou mais. Hipertensos do sexo feminino, acometidos por comorbidades graves e classificadas com qualidade de vida muito boa ou excelente apresentaram chances estatisticamente significativas para adesão à terapia. CONCLUSÕES: Concluiu-se por meio desta pesquisa, que um olhar mais atento para as características intrínsecas do paciente hipertenso, permite que o profissional da saúde identifique fatores preditores da não adesão ao tratamento anti-hipertensivo a fim de proceder um acompanhamento mais dinâmico desses pacientes, com ênfase na conscientização das conseqüências da hipertensão crônica e riscos de suas complicações.
Palavras-chave: Hipertensã
Qualidade de vida
Estilo de vida
Adesão à medicação
Idioma: por
País: Brasil
Editor: UNIVERSIDADE CESUMAR
Sigla da Instituição: UNICESUMAR
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/545
Data do documento: 17-Dez-2015
Aparece nas coleções:PROMOÇÃO DA SAÚDE

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ALCIONE OLIVEIRA DE SOUZA.pdfDissertação4.87 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.