EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica VII EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (25 à 28 de Outubro de 2011)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/4719
Tipo: Artigo
Título: AVALIAÇÃO DA ATIVIDADE ANTIOXIDANTE DE PLANTAS MEDICINAIS NA PREVENÇÃO DE DOENÇAS DEGENERATIVAS PARA IDOSOS
Autor(es): PESCO, Danielle Cristina Sampaio
SILVA, Diego Aparecido Rosa da
DAMAZIO, atiane Giacomini
CORTEZ, Diógenes Aparício Garcia
CORTEZ, Lucia Elaine Ranieri
Abstract: É geralmente aceito que os radicais livres desempenham um papel importante no desenvolvimento da lesão tecidual e eventos patológicos em organismos vivos. O estresse oxidativo corresponde a um desequilíbrio entre a taxa de produção de agentes oxidantes e sua degradação. Ocorre quando a produção de radicais livres esta acelerada ou quando os mecanismos envolvidos na proteção encontram se deteriorados. Acredita-se que as doenças degenerativas crônicas como doença de Alzheimer,doença de Parkson, aterosclerose, complicações da Diabetes mellitus, o envelhecimento precoce e outras estejam relacionadas com o estresse oxidativo e substâncias antioxidantes, tornam-se úteis para reduzir os radicais livres. Vários efeitos benéficos à saúde têm sido atribuídos aos compostos presentes nas plantas, como atividade anti-inflamatória, antimicrobiana, emética, oncolítica, anti- ulcera, e estudos demonstram que dentre estas atividades destaca-se a atividade antioxidante. Os antioxidantes presentes nas plantas podem atuar como agentes redutores, sequestradores de radicais livres, inibidores de enzimas e como quelantes de metais. Diversas plantas tem demonstrado potencial atividade antioxidante, o que despertou um interesse na busca desta atividade. A planta escolhida para o estudo foi a Arrabidaea chica (H&B) Verlot. (Bignoniaceae) é uma planta da região amazônica, conhecida popularmente como crajirú. Suas folhas são utilizadas como anti-inflamatório, agente adstringente, cólicas intestinais, diarreias, leucorréia, leucoanemia, topicamente, combatem as impigens e outras enfermidades de pele, principalmente para lavagens de feridas e ulceras. Foram encontradas em sua composição química flavonóides, antocianidinas, taninos, fitoesterois, saponinas, quininas e indícios de alcalóides. O objetivo deste trabalho é realizar a avaliação da atividade antioxidante das folhas de Arrabidaea Chica utilizando o método do radical livre DPPH. Este resultado poderá fornecer dados sobre a atividade antioxidante da Arrabidaea Chica, contribuindo para futuras utilizações da mesma em medicamentos para favorecer um envelhecimento ativo.
Palavras-chave: Idoso
Plantas medicinais
Atividade antioxidante
Arrabidaea chica
Idioma: por
País: Brasil
Editor: UNIVERSIDADE CESUMAR
Sigla da Instituição: UNICESUMAR
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/4719
Data do documento: 25-Out-2011
Aparece nas coleções:VII EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (25 à 28 de Outubro de 2011)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
danielle_cristina_sampaio_pesco.pdfTrabalho apresentado na modalidade grupo de discussão no VII EPCC Encontro Internacional de Produção Científica (25 a 28 de outubro de 2011)91.73 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.