EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica IX EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (03 à 06 de Novembro de 2015)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/2421
Tipo: Artigo
Título: ARTETERAPIA NO PROCESSO TERAPÊUTICO FONOAUDIOLÓGICO DE UM SUJEITO AFÁSICO
Autor(es): LABIGALINI, Ana Paula Vila
CORRÊA, Heloísa Farias
PIEROBON, Thaís de Lima
Abstract: O estudo apresenta e analisa os benefícios da arte terapia no processo terapêutico fonoaudiológico em um sujeito afásico, acometido por um Acidente Vascular Encefálico (AVE), do tipo isquêmico, há aproximadamente dois ano. Durante a pesquisa, buscou-se privilegiar as relações estabelecidas entre terapeuta e o sujeito, além de explorar as atividades artísticas dentro do processo terapêutico fonoaudiológico. Sabe-se que a arte terapia é muito utilizada em outras áreas da saúde que por sua vez visam a reabilitação do indivíduo, decorrente disso, acredita-se que dentro da fonoaudiologia, a arte proporcionará aos afásicos melhor desenvolvimento no processo de interação social e de re-significação da linguagem. O objetivo do estudo foi investigar os benefícios da arte terapia na reabilitação fonoaudiologica de um sujeito afásico. Na metodologia foi utilizado a Neurolinguistica Discursiva como pressuposto teórico para sua elaboração desde do processo terapêutico até a coleta de dados, levando em consideração o meio sociocultural do sujeito da pesquisa e conscientizando o mesmo e sua família da utilização das novas vias alternativas de significação, no qual são utilizadas no processo interacional. Os encontros para as terapias foram realizados em uma clínica escola localizado no noroeste do Paraná, uma vez na semana com sessões de 50 minutos, sendo todos esses encontros registrados através de filmagem, para observação mais clara do desenvolvimento do paciente. Os materiais utilizados no processo terapêutico fonoaudiológico, foram elementos artísticos, como tinta, tela, lápis de cor, cola, jornais, musica, pinceis, papel. A coleta de dados foi realizada no início, durante e no final da pesquisa, tabulados então de maneira qualitativa, procurou-se descrever a produção verbal e não verbal do sujeito durante a terapia, além do estado psicológico e físico. Os resultados obtidos durante a terapia foram satisfatórios, no qual o sujeito mostrou-se diferente do começo das terapias, ao longo do tempo compreendeu o objetivo das estratégias utilizadas, além disso obteve melhora na interação com a terapeuta e com a esposa ao longo dos encontros, motivou-se também a voltar a trabalhar de pintor que era sua profissão antes do quadro de AVE, percebendo então melhora no auto estima do sujeito, na linguagem e em sua saúde em geral. O presente estudo mostrou que realmente a arte terapia não só proporciona avanço e melhora na saúde em geral de um sujeito afásico, como também tem a capacidade de estimula os terminais nervosos do cérebro danificados pelo AVE, possibilitando então o uso das vias alternativas de significação que um sujeito pode usar. E que pode também ser usado esse método terapêutico em diversas áreas da fonoaudiologia e também da saúde, como auxilio de diversos processos terapêuticos, que visam a reabilitação do sujeito.
Palavras-chave: Afasia
Linguagem
Terapia fonoaudiológica
Terapia pela arte
Idioma: por
País: Brasil
Editor: UNIVERSIDADE CESUMAR
Sigla da Instituição: UNICESUMAR
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/2421
Data do documento: 3-Nov-2015
Aparece nas coleções:IX EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (03 à 06 de Novembro de 2015)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ARTETERAPIA NO PROCESSO TERAPÊUTICO FONOAUDIOLÓGICO DE UM SUJEITO AFÁSICO.pdfTrabalho apresentado na modalidade comunicação oral no IX Encontro Internacional de Produção Científica (03 a 06 de novembro de 2015)356.96 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.