EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica IX EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (03 à 06 de Novembro de 2015)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/2416
Tipo: Artigo
Título: PREVALÊNCIA DE INCONTINÊNCIA URINÁRIA EM UM GRUPO DE IDOSAS PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA
Autor(es): INHOTI, Priscila Almeida
COSTA, Raíssa Biff
BILOTTI, Carolina Correia
GOUVEA, José Alípio
BERTOLINI, Sonia Maria Marques Gomes
Abstract: O Brasil será o sexto país com maior número de idosos do mundo. Assim como em outras localidades do mundo, existe uma feminização do envelhecimento. Ao se comparar a expectativa de vida de homens e mulheres, observa-se que as mulheres vivem aproximadamente de 6 a 8 anos a mais, e este fator aumenta com o avançar da idade. Apesar da incontinência urinária atingir ambos os sexos, a sua prevalência é maior nas mulheres. Definida como qualquer perda involuntária de urina, a incontinência urinária possui três classificações mais comuns, que são a incontinência urinária por esforço, urgência e mista. Os quadros de incontinência urinária geram impactos negativos na vida destas mulheres, levando em alguns que a idosa deixe de realizar as atividades em que ocorra a perda urinária. Este trabalho teve como objetivo verificar a prevalência da incontinência urinária em idosas praticantes de atividade física. Este estudo possui natureza quantitativa, do tipo observacional. A amostra foi composta por 71 mulheres praticantes de atividade física, pertencentes a um grupo de convivência na cidade de Maringá-PR. O instrumento de coleta de dados utilizado foi o questionário traduzido e validado para o diagnóstico da incontinência urinária (ICIQ-SF). Observou-se que a incontinência urinária esteve presente em 63,4% da amostra, enquanto que apenas 36,6% não eram incontinentes. No que se refere as perdas urinárias, as maiores prevalências estiveram em uma vez por semana ou menos com 28,2% e várias vezes ao dia com 16,9%. A maioria das mulheres consideraram que o volume de urina perdido era pequeno, ou seja, 47,9% dos casos. A presente pesquisa apontou que 60% das idosas possuem incontinência urinária mista, ficando as incontinências urinárias de esforço e urgência ambas com 20% da amostra. Conclui-se que a prevalência de incontinência urinária do grupo de idosas praticantes de atividade física é elevada. Os resultados deste trabalho estão de acordo com outros estudos similares, os quais também utilizaram como instrumento de avaliação o ICIQ-SF. Esta pesquisa demonstrou que a incontinência urinária esteve presente em idosas fisicamente ativas e que as mesmas desconhecem a definição do termo incontinência, sendo necessário inicialmente um trabalho de conscientização sobre o tema, seguido de aconselhamento e encaminhamento para um tratamento adequado.
Palavras-chave: Incontinência urinária
Idosas
Atividade física
Idioma: por
País: Brasil
Editor: UNIVERSIDADE CESUMAR
Sigla da Instituição: UNICESUMAR
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/2416
Data do documento: 3-Nov-2015
Aparece nas coleções:IX EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (03 à 06 de Novembro de 2015)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
PREVALÊNCIA DE INCONTINÊNCIA URINÁRIA EM UM GRUPO DE IDOSAS PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA.pdfTrabalho apresentado na modalidade comunicação oral no IX Encontro Internacional de Produção Científica (03 a 06 de novembro de 2015)291.9 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.