EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica IX EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (03 à 06 de Novembro de 2015)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/2406
Tipo: Artigo
Título: RELATO DE EXPERIÊNCIA: IMPLANTAÇÃO DO PROTOCOLO DE MANEJO DA SEDE EM SALA DE RECUPERAÇÃO ANESTÉSICA
Autor(es): GARCIA, Aline Korki Arrabal
GALHARDO, Viviane Godoy
FONSECA, Lígia Fahl
SANTOS, Samira Beserra dos
ALVES, Maria de Fátima
Abstract: Complicações no pós-operatório imediato (POI) são extensivamente estudados e seus protocolos tem sido implementado na prática clínica. A sede é um dos sintomas mais incidentes e intensos no perioperatório, no entanto, é subvalorizada, submensurada, subtratada e não notificada. Fatores podem contribuir para sua incidência, como ansiedade, estresse, jejum prolongado, fármacos anestésicos, entubação orotraqueal, sangramento e desequilíbrio hidroeletrolítico contribuem para seu desencadeamento. No POI o jejum absoluto é mantido ainda por algumas horas, devido ao temor da broncoaspiração. A soma desses fatores é a sede intensa, distressante e desconfortável. A baixa temperatura tem se mostrado eficaz estratégia para mitigar a sede comparada a água em temperatura ambiente, permite a estimulação de ororeceptores sensíveis ao frio, gerando sensação de refrescância, saciedade e alívio do desconforto com baixo volume hídrico. Instrumentos de registro e controle de sinais e intercorrências são essenciais na Sala de Recuperação Anestésica (SRA), todavia, não se encontram relatos de registros intencionais do manejo da sede no POI. Para isto, foi reformulado o instrumento de registro da SRA contemplando o manejo seguro da sede, desenvolvido pelo Grupo de Pesquisa e Estudo sobre a Sede (GPS) em SRA de um hospital universitário de grande porte. Essa iniciativa promoveu a elaboração de um instrumento visando a identificação, mensuração, avaliação de segurança e tratamento da sede, com treinamento subsequente de toda a equipe do bloco cirúrgico. Trata-se de um relato de experiência da reformulação do instrumento de SRA, implantação e treinamento dos funcionários do bloco cirúrgico, a fim de sensibilizá-los e capacitá-los para o manejo da sede. O público alvo foi, auxiliares, técnicos, enfermeiros e residentes de enfermagem perioperatória. A primeira etapa foi a introdução no instrumento de áreas para registro relacionadas à sede, identificação através de perguntas intencionais, mensuração da intensidade por escala visual analógica ou numérica, aplicação do Protocolo de Segurança do Manejo da Sede e aplicação de estratégia de alívio com intervalos periódicos. A segunda etapa consistiu na implantação e capacitação dos funcionários, ministrada pela docente e residentes de enfermagem perioperatória. O treinamento encontrou eco na experiência diária dos profissionais e identificou-se que estes reconheciam a sede como importante desconforto e distresse, no entanto, não se sentiam instrumentalizados para atuarem frente a ela.
Palavras-chave: Enfermagem Perioperatória
Sala de Recuperação Anestésica
Sede
Idioma: por
País: Brasil
Editor: UNIVERSIDADE CESUMAR
Sigla da Instituição: UNICESUMAR
Tipo de Acesso: Acesso Aberto
URI: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/2406
Data do documento: 3-Nov-2015
Aparece nas coleções:IX EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (03 à 06 de Novembro de 2015)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RELATO DE EXPERIÊNCIA IMPLANTAÇÃO DO PROTOCOLO DE MANEJO DA SEDE EM SALA DE RECUPERAÇÃO ANESTÉSICA.pdfTrabalho apresentado na modalidade comunicação oral no IX Encontro Internacional de Produção Científica (03 a 06 de novembro de 2015)341.33 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.