01 - CAMPUS MARINGÁ 3. TESES E DISSERTAÇÕES PROMOÇÃO DA SAÚDE
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/8952
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorSARTORI , Amanda Caroline-
dc.date.accessioned2021-03-23T20:09:29Z-
dc.date.available2021-03-23T20:09:29Z-
dc.date.issued2019-01-28-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/8952-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAdesão à medicaçãopt_BR
dc.subjectPromoção da saúdept_BR
dc.subjectSaúde públicapt_BR
dc.subjectTecnologia em saúdept_BR
dc.titleMHealth no sistema hiperdia: estratégia alternativa para intensificação da adesão à terapia do diabetes e da hipertensãopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor1YAMAGUCHI, Mirian Ueda-
dc.contributor.advisor2LUCENA, Tiago Franklin Rodrigues-
dc.description.resumoA adesão à terapia antidiabética e anti-hipertensiva representa um importante problema de saúde pública. Para que ocorra o aumento da adesão às terapias farmacológicas, é necessário que haja mudança de comportamento em saúde. Para tanto, as tecnologias mHealth são ferramentas que podem ser utilizadas nas intervenções de promoção da saúde relacionadas às doenças crônicas. O objetivo do presente estudo foi avaliar a utilização da aplicativo WhatsApp no fortalecimento da adesão medicamentosa antidiabética e anti-hipertensiva, assim como identificar a produção científica sobre a utilização das tecnologias mHealth para mudança de comportamento em saúde. A primeira parte trata-se de um estudo intervencional e prospectivo, com grupo controle, realizado com 403 diabéticos e hipertensos cadastrados nas 33 Unidades Básicas de Saúde de Maringá – Paraná. Os participantes foram distribuídos aleatoriamente em grupo intervenção e grupo controle. A intervenção consistiu no envio de mensagens por WhatsApp, de diabéticos, hipertensos e indivíduos que possuíam ambas as doenças, durante um período de 16 semanas. Antes e após a intervenção foi aplicado o Teste de Morisky-Green para mensuração da adesão à terapia medicamentosa. Para análise dos resultados utilizou-se estatística descritiva e teste qui-quadrado de associação. Obteve-se diferença na proporção dos aderentes à terapia medicamentosa para o grupo que recebeu as mensagens de WhatsApp (67,5%) comparados aos que não receberam (58,5%). Entretanto, não houve associação significativa da aderência entre os grupos antes e após a intervenção (p = 0,077). Conclui-se que intervenções tecnológicas mHealth podem ser úteis se associadas com outras estratégias como os processos de educação em saúde para melhorar a literacia em saúde dos usuários e/ou relacionamento de confiança entre paciente e profissionais de saúde. A segunda parte refere-se a um estudo cienciométrico da literatura científica sobre mHealth e mudança de comportamento em saúde na base de dados PubMed. Utilizou-se o termo “Health behavior change and mHealth” que resultou na identificação de 62 artigos. Constatou-se que as doenças crônicas foram os temas de maior interesse para a comunidade científica e as tecnologias mHealth mais utilizadas nas intervenções para modificar as condutas em saúde foram aplicativos e mensagens de texto.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPromoção da Saúde (Mestrado)pt_BR
dc.publisher.initialsUNICESUMARpt_BR
Aparece nas coleções:PROMOÇÃO DA SAÚDE

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
AMANDA CAROLINA SARTORI.pdf3.46 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.