EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica IV EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (19 a 22 de Outubro de 2005)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/7662
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorSILVA, Priscila Aparecida da-
dc.creatorONO, Fernanda Kiyoko-
dc.creatorGONÇALVES, Ana Paula Cazangi-
dc.creatorOLIVEIRA, Maislian de-
dc.date.accessioned2021-02-17T11:18:03Z-
dc.date.available2005-10-19-
dc.date.available2021-02-17T11:18:03Z-
dc.date.issued2005-10-19-
dc.identifier.otherPresencialpt_BR
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/7662-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectMeningitept_BR
dc.subjectAgentes etiológicospt_BR
dc.subjectCaracterísticas epidemiológicapt_BR
dc.titleMENINGITE BACTERIANA: ASPECTOS GERAISpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoA meningite é a infecção das meninges, que possui como principal agente etiológico a Neisseria meningitidis, sendo seguida pela Mycobacterium tuberculosis e o Haemophilus influenzae do tipo B (HIB), como agentes de grande importância epidemiológica. Com isso, este trabalho tem como objetivo desenvolver um levantamento bibliográfico sobre a menigite bacteriana, descrevendo de maneira breve e clara o modo de transmissão, agentes etiológicos, características epidemiológicas, forma de diagnóstico e tratamento desta doença. A N. meningitidis pode provocar infecção tanto endêmica quanto epidêmica, o microorganismo é considerado um patógeno respiratório, cuja transmissão é, mais provavelmente, por via aérea, portanto, os elevados índices observados nos países em desenvolvimento são devidos, em parte à pobreza, decorrendo da aglomeração, condições sanitárias precárias e desnutrição; existindo ainda várias síndromes diferentes de infecção meningocócica, para cada cepa do microorganismo em questão. Os aspectos clínicos relevantes à manifestação da doença em crianças maiores e adultos são a presença de febre, cefaléia intensa, náuseas, vômitos, e rigidez na nuca. Os sintomas que crianças de oito até nove meses de idade apresentam são febre, irritabilidade ou agitação, recusa alimentar acompanhada ou não de vômitos e convulsões. É utilizado para o diagnóstico laboratorial o líquido Cefalorraquidiano (LCR), e o tratamento consiste na administração de antibiótico de acordo com a faixa etária, dados clínicos e epidemiológicos. Para a proteção contra a meningite por HIB, existe uma vacina que apresenta altos níveis de eficácia quando aplicada nas doses recomendadas, não estando ainda incluída na rotina de vacinação. Portanto, conclui-se, que o desenvolvimento de trabalhos como este de revisão bibliográfica, são de suma importância para o desenvolvimento de medidas que venham a conscientizar a população sobre o assunto, contribuindo para a melhora da saúde e qualidade de vida das mesmas.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUNICESUMARpt_BR
Aparece nas coleções:IV EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (19 a 22 de Outubro de 2005)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
priscila_aparecida_da_silva.pdf12.02 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.