EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica V EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica ( 23 a 26 de Outubro de 2007)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/6884
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorOLIVEIRA, Tatiana Cristina de-
dc.creatorCOELHO, Maria Josele Bucco-
dc.date.accessioned2021-01-28T17:10:57Z-
dc.date.available2007-09-23-
dc.date.available2021-01-28T17:10:57Z-
dc.date.issued2007-10-23-
dc.identifier.issn9788561091002pt_BR
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/6884-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectRealismo mágicopt_BR
dc.subjectRepresentação do femininopt_BR
dc.subjectMito e religiosidadept_BR
dc.titleMITO E RELIGIOSIDADE NA CONSTRUÇÃO DOS PAPÉIS FEMININOS NA OBRA CIEN AÑOS DE SOLEDAD, DE GABRIEL GARCÍA MÁRQUEZpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoNascido em seis de março, numa família modesta e numerosa da cidade de Macondo, Colômbia, Gabriel García Márquez é sem dúvida o grande ícone do Realismo Mágico, uma corrente literária que expressa a realidade humana e social da América Latina mesclando realidade e ficção. O Realismo Mágico obteve após seu “Boom” no panorama internacional um enorme prestígio e nesse contexto surgiu a obra Cien Años de Soledad. Nela, a pequena e isolada vila de Macondo, conheceu o desenvolvimento acompanhado pela ambição de seu fundador, José Arcádio Buendía e o triste destino traçado pelo cigano e alquimista Melquíades. O progresso familiar, seguido do declínio moral e trágico dos personagens, aparece repleto de mitologia, crendices populares e religiosidade. Esses personagens são representados ao longo das gerações, numa história rica em ironia e simbologia. A Alienação dos Buendía, retratada por Gabriel García Márquez, simboliza a alienação do homem tradicional sobre os valores modernos. Com isso, os personagens da obra constroem a história da própria sociedade, assim como os papéis feminino e masculino no campo simbólico da narrativa. Família tipicamente patriarcalista, pode-se explorar ao longo do livro mulheres como Úrsula, casada por um ano sem manter relações sexuais com seu marido temendo ter um filho com rabo de porco; a avó de Úrsula, que queima a área genital no fogão para castigar seus próprios impulsos sexuais; Fernanda, casada para ser a rainha do lar e que finge não saber da existência de Petra, a amante de seu marido; Rebeca, filha adotiva que come terra compulsivamente; Amaranta, que queima as mãos no fogo e passa a vida com uma faixa preta em uma das mãos em sinal de luto; entre outras. Dessa forma, esse trabalho tem como objetivo estudar os personagens femininos na obra Cien Años de Soledad e sua relação com mitos, crenças e religiosidade, assim como refletir sobre a condição feminina na América Latina no período em que foi escrita a narrativa para comparar as personagens com o perfil dessas mulheres.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUNICESUMARpt_BR
Aparece nas coleções:V EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica ( 23 a 26 de Outubro de 2007)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tatiana_cristina_de_oliveira.pdf218.51 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.