EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica VII EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (25 à 28 de Outubro de 2011)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/6352
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorVERONEZ, Marly-
dc.creatorOLIVEIRA, Kézia de-
dc.creatorHIGARASHI, Ieda Harumi-
dc.creatorWAIDMAN, Maria Angélica Pagliarini-
dc.date.accessioned2020-12-10T12:31:42Z-
dc.date.available2011-10-25-
dc.date.available2020-12-10T12:31:42Z-
dc.date.issued2011-10-25-
dc.identifier.issn978-85-8084-055-1pt_BR
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/6352-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectCuidadopt_BR
dc.subjectEnfermagempt_BR
dc.subjectUnidades de terapia intensivapt_BR
dc.titleO SIGNIFICADO DO CUIDAR SOB A ÓTICA DE ENFERMEIROS NEONATOLOGISTASpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.description.resumoNa área da saúde, a expressão “cuidado” é utilizada de várias formas, desde uma concepção para além do curar, até sua compreensão enquanto proposta ética. O objetivo desta pesquisa, de caráter qualitativo, descritivo foi buscar o significado do cuidar sob a ótica de enfermeiros neonatologistas. O campo escolhido foi composto por duas UTI Neonatais, situadas em dois municípios do Estado do Paraná. Foram convidados a participar os enfermeiros que atuavam nestas unidades, totalizando 14 profissionais. Os sujeitos foram entrevistados a partir da utilização de um roteiro semi-estruturado, tendo como questão norteadora: Para você o que significa cuidar? As entrevistas foram realizadas nos meses de junho e julho de 2011. Os depoimentos foram gravados e transcritos na íntegra, e posteriormente submetidos à análise temática, originando duas unidades ou eixos temáticos: Conhecendo os diversos sentidos e formas do cuidar; e reconhecendo atitudes como (des) cuidado. Nesta primeira unidade os achados evidenciaram que o cuidar tem sentidos amplos, podendo ser entendido como o auto-cuidado, o cuidado prestado a terceiro, o cuidado do lar, a realização da melhor técnica e também, como um ato de doação ao outro. Na segunda unidade foram levantadas algumas práticas dos profissionais que podem ser consideradas como (des)cuidado: a (des) atenção com a família, envolvendo aspectos do acolhimento; o (des) cuidado com a humanização da assistência, relativamente à necessidade de ambiente e rotinas voltadas ao respeito ao ser humano assistido; a (des) motivação do próprio profissional , envolvendo a necessidade de aprimoramento contínuo e melhoria das relações interpessoais.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.initialsUNICESUMARpt_BR
Aparece nas coleções:VII EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (25 à 28 de Outubro de 2011)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
marly_veronez.pdf149.82 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.