EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica VII EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (25 à 28 de Outubro de 2011)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/5005
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorBRISCHILIARI, Adriano-
dc.creatorCREMON, Elaine Cristina-
dc.creatorMELLO, Nathália Jorge Simões de-
dc.creatorWAIDMAN, Maria Angélica Pagliarini-
dc.date.accessioned2020-02-13T17:20:31Z-
dc.date.available2020-02-13T17:20:31Z-
dc.date.issued2011-10-25-
dc.identifier.isbn978-85-8084-055-1-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/5005-
dc.description.abstractA família da pessoa acometida pelo transtorno mental após a década de 1980 passou a perceber mudanças na política de saúde mental. Tal política tem priorizado os atendimentos extra- hospitalares e com isso, possibilita uma maior convivência das pessoas acometidas pelo transtorno mental com suas famílias.Neste contexto espera-se que a pessoa que sofre com o transtorno mental possa receber atendimento conforme preconizado pelas novas políticas públicas na área de saúde mental. O objetivo geral deste estudo foi descrever o atendimento à pessoa com transtorno mental desde a primeira internação – se nos moldes hospital ocêntrico, ou não – até o momento e; identificar as facilidades e dificuldades que elas encontram nos serviços de saúde mental relacionados ao serviço propriamente dito. Pesquisa de abordagem qualitativa, realizada no período de janeiro a fevereiro de 2011. Os 14 colaboradores pertencem a oito famílias de pessoas com transtornos mentais residentes dos municípios da 11ª Regional de Saúde. Utilizou a história oral temática como técnica de coleta dos dados. Para análise dos dados utilizou-se a técnica de análise temática de conteúdo. Os resultados demonstram que em relação à assistência extra- hospitalar prestada à pessoa com transtorno mental, ainda há uma dificuldade neste aspecto. Quanto à internação em hospital asilar, identifica-se piora no quadro da pessoa acometida pelo transtorno mental; os relacionamentos familiares são permeados de sentimentos de dor e sofrimento, acompanhado de diversas dificuldades. Concluí-se que a enfermagem tem papel importante na recuperação da pessoa com transtorno mental junto à família para orientá-la e apoiá-la em suas necessidades.pt_BR
dc.languagepor-
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectEnfermagempt_BR
dc.subjectSaúde mentalpt_BR
dc.subjectFamíliapt_BR
dc.titleDIFICULDADES ENCONTRADAS NO ATENDIMENTO À PESSOA COM TRANSTORNO MENTALpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.initialsUNICESUMAR-
Aparece nas coleções:VII EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (25 à 28 de Outubro de 2011)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
elaine_cristina_cremon.pdfTrabalho apresentado na modalidade comunicação oral no XI Encontro Internacional de Produção Científica (29 a 30 de outubro de 2019)119.85 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.