EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica VII EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (25 à 28 de Outubro de 2011)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/4675
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorALVES, Anna Caroliny-
dc.creatorJUNQUEIRA, Cássia Menin Cabrini-
dc.date.accessioned2020-01-30T13:29:53Z-
dc.date.available2020-01-30T13:29:53Z-
dc.date.issued2011-10-25-
dc.identifier.isbn978-85-8084-055-1-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/4675-
dc.description.abstractO presente estudo pretende discutir aspectos da atuação fonoaudiológica em triagem auditiva neonatal, que será realizada por meio de emissões otoacústicas evocadas (EOAT), com a finalidade de investigar quais são as causas de lactentes sem risco para perda auditiva falharem em uma das orelhas,sendo esta orelha a que permanece por mais tempo em contato com o leito. No Brasil, na década de 1980,foram propostos e implantados programas para detectar perda auditiva precoce. A proposta de análise cedeu pela posição do lactente, pois esta pode interferir nos registro das respostas das EOAT, espera-se que quando o lactente permaneça deitado por muito tempo sobre determinada orelha, ao realizar o exame nesta a resposta poderá ausentar, com isso colocamos o lactente em decúbito dorsal e a aproximadamente 40 minutos realiza-se novamente o exame esperando a presença do registro das respostas. Dentro desta realidade, a Fonoaudiologia se insere nesse programa por meio da intervenção na saúde auditiva do neonato e no apoio à realização da TAN, pois é a partir desta que se pode intervir caso seja apresentada perda auditiva pelos neonatos. Diante do exposto pretende-se, então, auxiliar na TAN e no diagnóstico de lactentes a termo e que não apresentam indicadores de risco em relação à audição, que ainda assim podem falhar em uma das orelhas no registro das EOAT. Entretanto o tempo que o lactente permanece deitado na mesma posição pode interferir na absorção do vérnix ou do líquido amniótico, aumentando desta forma o número de respostas falso/positivo. Participarão do estudo 30 lactentes com até 48 horas de vida de ambos os sexos sem intercorrências pré, peri e pós-natais e o estudo será realizado com bebês a termo. As fontes de informações serão os prontuários hospitalares dos 30 participantes. Na coleta de dados, os registros das EOE (emissões otoacústicas evocadas transitórias) terão início de acordo com o posicionamento do neonato no berço, o estado do lactente deverá ser dormindo em sono natural. O mesmo será realizado nos lactentes com a colocação da sonda no meato acústico externo, não será invasivo, primeiramente do lado que o neonato não estiver deitado sobre a orelha e logo após do lado que ele estiver deitado sobre a orelha. As informações a respeito da idade gestacional, peso, tipo de parto, intercorrências peri e pós gestacional, pontuação do índice de Apgar que serão coletados dos prontuários hospitalares dos recém – nascidos.pt_BR
dc.languagepor-
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectFonoaudiologiapt_BR
dc.subjectAudiçãopt_BR
dc.subjectRecém-nascidopt_BR
dc.titleA INFLUÊNCIA DA POSIÇÃO DO NEONATO DURANTE O SONO NO REGISTRO DAS EMISSÕES OTOACÚSTICAS EVOCADASpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.initialsUNICESUMAR-
Aparece nas coleções:VII EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (25 à 28 de Outubro de 2011)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
anna_caroliny_alves.pdfTrabalho apresentado na modalidade grupo de discussão no VII EPCC Encontro Internacional de Produção Científica (25 a 28 de outubro de 2011)78.93 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.