EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica X EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (24 à 26 de Outubro de 2017)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/1903
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorISHIKAWA, Beatriz Hiromi-
dc.creatorPOLAQUINI, Guilherme Augusto-
dc.creatorMURAD, Ivan-
dc.date.accessioned2019-08-19T20:46:44Z-
dc.date.available2019-08-19T20:46:44Z-
dc.date.issued2017-10-24-
dc.identifier.isbn978-85-459-0773-2-
dc.identifier.issn2594-4991-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/1903-
dc.description.abstractHérnias são protusões através de um orifício congênito ou adquirido da cobertura músculo aponeurótica do abdome, com conteúdo visceral da cavidade. Elas causam dor e têm prevalência maior na população adulta e no sexo masculino. São corrigidas por herniorrafias ou hernioplastias. Com o objetivo de resgatar a casuística do serviço de hérnias da parede abdominal, identificaram-se as operações cirúrgicas realizadas no Hospital Universitário Regional de Maringá (HRUM). Levando em consideração o período entre janeiro de 2001 e dezembro de 2015, foram analisados os prontuários de um banco de dados padronizados, pertencente ao próprio Hospital. O presente estudo procurou avaliar os dados em números absolutos e percentuais. Quanto aos tipos de hérnias abdominais, seguiu-se conforme a classificação em: inguinais, incisionais, umbilicais, epigástricas e outras (femorais, mistas e complicadas – aquelas após procedimentos de colostomias, peritoniostomias e abdominoplastias). No período referente, foram conduzidas 942 cirurgias de hérnia, eletivas ou urgenciais, sendo: 642 inguinais, 112 incisionais, 71 umbilicais, 60 epigástricas e outras 53. Do total de operações, aplicou-se tela em 411 (43,63%) e corrigidas sem tela em 531 (56,37%), utilizando as técnicas de Lichtenstein e de Bassini ou McVay, respectivamente, para as correções de hérnias inguinais. O grupo etário com maior frequência de realização das cirurgias foi de 46 a 60 anos. Quanto ao gênero, 73,35% dos casos ocorreram em pacientes masculinos e 26,65% nos femininos. O volume de cirurgias realizado foi um importante serviço prestado à comunidade pelo Hospital Universitário da Universidade Estadual de Maringá, proporcionando dados relevantes para futuras pesquisas e publicações.pt_BR
dc.languagepor-
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectEstudopt_BR
dc.subjectHerniorrafiaspt_BR
dc.subjectPacientespt_BR
dc.titleEPIDEMIOLOGIA DAS CORREÇÕES DE HÉRNIAS DA PAREDE ABDOMINAL REALIZADAS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIOpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.initialsUNICESUMAR-
Aparece nas coleções:X EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (24 à 26 de Outubro de 2017)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
epcc--80105.pdfTrabalho apresentado na modalidade painel no X Encontro Internacional de Produção Científica (24 a 26 de outubro de 2017)936.85 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.