01 - CAMPUS MARINGÁ 3. TESES E DISSERTAÇÕES CIÊNCIAS JURÍDICAS - PPGCJ
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/1017
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorJUNIOR, César Dallabrida-
dc.date.accessioned2019-07-18T19:40:43Z-
dc.date.available2019-07-18T19:40:43Z-
dc.date.issued2018-12-18-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/1017-
dc.descriptionDissertação apresentada à Banca Examinadora do Programa de Mestrado em Ciências Jurídicas do Centro Universitário de Maringá, como exigência parcial para obtenção do título de Mestre em Ciências Jurídicas, sob a orientação da Profa. Dra. Valéria Silva Galdino Cardin.pt_BR
dc.description.abstractA família é a primeira instituição socializadora que, em regra, o ser humano tem contato ao longo de sua existência. Nesse sentido, a entidade familiar se adapta à realidade social, estando, portanto, em constante transformação. Contemporaneamente, há diversas modalidades de família, sendo que estas encontram-se implícitas no texto da Constituição Federal. A internet tem sido o meio pelo qual novas entidades familiares estão surgindo e se espalhando, destacando-se a coparentalidade a qual, em síntese, determina que os genitores apenas se vinculem no sentido do bem-estar do filho, evitando-se a afetividade e o relacionamento sexual entre si. Vale acrescentar que dentre as novas formas de família, considerando o fenômeno da globalização, estão surgindo algumas que envolvem diferentes nacionalidades e culturas, motivo pelo qual a presente pesquisa buscou abordar pontos acerca do Direito Internacional Privado, valendo-se de doutrinas e jurisprudências para destacar os posicionamentos mais atuais sobre o tema em apreço. Com o surgimento de famílias anteriormente desconhecidas, surgem novas lides, assim como novos questionamentos acerca do direito familiar. Portanto, a presente pesquisa buscou explorar a pluralidade familiar, evidenciando algumas modalidades de família existentes, o dever da parentalidade responsável e da preservação do melhor interesse da criança, assim como a (in) viabilidade de determinados laços afetivos frente às inovações tecnológicas e às implicações no direito internacional privado. Em tempo, buscou-se explanar algumas normas acerca do casamento, divórcio consular, registro, filiação, guarda e regulamentação de visitas frente ao direito internacional privado. Outrossim, abordou-se a cobrança e execução de alimentos aos filhos, assim como a obrigação de prestar alimentos frente ao plano internacional, os instrumentos que podem ser analisados como forma de cooperação jurídica internacional e a competência para processar e julgar a ação de alimentos no plano internacional. Por fim, como resultados conquistados, pode-se mencionar: a amplitude e o desenvolvimento de configurações familiares contemporâneas, ausência de legislação suficiente que auxilie na solução de conflitos modernos no âmbito da família internacional, dificuldade em aplicação correta na legislação existente, especialmente no que tange ao sequestro internacional de menores, assim como amplitude de convenções internacionais que dizem respeito aos alimentos e a visualização de confronto de direitos da personalidade em casos que envolvem confronto de culturas e legislações.pt_BR
dc.languagepor-
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectDireito Internacional Privadopt_BR
dc.subjectCasamentopt_BR
dc.subjectCoparentalidadept_BR
dc.subjectDivórciopt_BR
dc.titleDas relações familiares no direito internacional privadopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor1FACHIN, Zulmar Antonio-
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.initialsUNICESUMAR-
Aparece nas coleções:CIÊNCIAS JURÍDICAS - PPGCJ

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
César Dallabrida Junior.pdfDissertação926.44 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.