01 - CAMPUS MARINGÁ 1. TCC ENFERMAGEM
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/639
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorMASSULO, Andressa Caroline-
dc.creatorSCARANO, Janine Knabach-
dc.date.accessioned2019-01-30T16:14:46Z-
dc.date.available2019-01-30T16:14:46Z-
dc.date.issued2018-11-12-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/639-
dc.descriptionArtigo apresentado ao curso de graduação em Enfermagem da UniCesumar – Centro Universitário de Maringá como requisito parcial para a obtenção do título de bacharel(a) em enfermagem, sob a orientação da Profª Me. Viviane Sousa Oliveira.pt_BR
dc.description.abstractNTRODUÇÃO: Com o aumento dos incidentes de trânsito e hostilidades, observase a falta de entendimento de alguns profissionais da saúde nas situações de urgência e emergência e a diferenciação das mesmas. OBJETIVOS: Avaliar o conhecimento dos profissionais da Atenção Primária em Saúde (APS); METODOLOGIA: Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, com delineamento descritivo e exploratório. O cenário de pesquisa foi o posto de serviço hospitalar e o serviço de APS de um município de pequeno porte populacional localizado na região noroeste do Paraná. Os sujeitos da pesquisa foram os profissionais enfermeiros, técnicos em enfermagem que atuam nesses serviços. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista gravada orientada por um roteiro semiestruturado. RESULTADO: Das doze pessoas entrevistadas, 9% é homem e 91% é mulher com idades entre 32 e 60 anos. Quanto à formação 8% é enfermeiro, 50% é técnico em enfermagem e 42% é auxiliar de enfermagem. A análise dos dados possibilitou o desenvolvimento de três categorias: Estranheza sobre o assunto urgência e emergência; Dificuldade/resistência de participar de treinamentos; Falta de recursos humanos e materiais. CONCLUSÃO: Os resultados demonstraram grande estranheza por parte dos profissionais da equipe de enfermagem frente às situações de urgência e emergência. Tal situação é agravada pela ausência de atualizações e protocolos de atendimento, fatores que somados a falta de estrutura física e de materiais prejudicam, o atendimento do paciente. Assim, percebe-se que o investimento em educação continuada, espaço físico adequado e recursos materiais e humanos são essenciais para a qualificação desses profissionais.pt_BR
dc.languagepor-
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectEmergênciapt_BR
dc.subjectServiços Médicos de Emergênciapt_BR
dc.subjectRelações Interpessoaispt_BR
dc.titleConhecimento dos profissionais de saúde de um Município do Paraná sobre o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU)pt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.contributor.advisor1OLIVEIRA, Viviane Sousa-
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.initialsUNICESUMAR-
Aparece nas coleções:ENFERMAGEM

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Trabalho de Conclusão de Curso TCC - artigo..pdfPDF418.87 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.