01 - CAMPUS MARINGÁ 3. TESES E DISSERTAÇÕES PROMOÇÃO DA SAÚDE
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/5980
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorSÁ, Julio de Souza-
dc.date.accessioned2020-09-08T20:40:29Z-
dc.date.available2020-09-08T20:40:29Z-
dc.date.issued2019-02-20-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/5980-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAtenção primária à saúdept_BR
dc.subjectDiabetes mellituspt_BR
dc.subjectDoenças não transmissíveispt_BR
dc.subjectHipertensãopt_BR
dc.subjectPromoção da saúdept_BR
dc.titleAdesão à terapia medicamentosa de pacientes diabéticos e hipertensos usuários da rede pública de saúde da cidade de Maringá, Estado do Paraná - Brasilpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisor1YAMAGUCHI, Mirian Ueda-
dc.contributor.advisor-co1BERNUCI, Marcelo Picinin-
dc.contributor.referee1MASSUDA, Ely Mitie-
dc.contributor.referee2BERTOLINI, Dennis Armando-
dc.description.resumoO diabetes e a hipertensão estão na atualidade entre as principais causas de mortes por doenças cardiovasculares em todo o mundo. A falta de adesão à terapia medicamentosa dessas doenças tem se tornado um crescente problema de saúde pública. A primeira parte desta dissertação refere-se ao estudo que teve por objetivo avaliar a adesão à terapia medicamentosa de diabéticos e hipertensos, usuários das 33 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade de Maringá, Paraná. Trata-se de um estudo descritivo, transversal, com abordagem quantitativa, realizada com uma amostra de 499 pacientes diabéticos, hipertensos e hipertensos diabéticos, com idade igual ou superior a 18 anos. Foi aplicado um questionário com perguntas referentes aos dados sociodemográfico, características clínicas, características específicas dos diabéticos e hipertensos e o Teste de Morisky-Green (TMG) para mesurar adesão à terapia medicamentosa. Dentre os entrevistados, 11,4% eram diabéticos, 56,1% hipertensos e 32,5% possuíam as duas doenças; 75% tinham 50 anos ou mais; 65% eram mulheres, 70% casados e 86% tinham apenas o ensino fundamental. Foi identificado que 39% dos participantes foram aderentes à terapia medicamentosa, e que o grupo de hipertensos foi menos aderente (64%) quando comparado ao grupo dos diabéticos (56%). Concluiu-se que o uso de intervenções específicas de promoção da saúde se faz necessário para intensificar a adesão de diabéticos e hipertensos à terapia medicamentosa. Na segunda parte desta dissertação realizou-se um estudo de cienciométrico nas bases de dados SciELO e PubMed, cujo objetivo foi identificar as intervenções utilizadas para melhorar a adesão às terapias medicamentosas e não medicamentosas de pacientes hipertensos e diabéticos. A pesquisa foi realizada nos meses de fevereiro e março de 2018, utilizando-se os termos “Intervenções para melhorar a adesão à terapia do diabetes”, “Intervenções para melhorar a adesão à terapia de hipertensão” e “Intervenções para melhorar a adesão à terapia da hipertensão e diabetes, na base de dados SciELO, e utilizando os mesmos termos em língua inglesa, na base de dados PubMed. Foram selecionados 95 artigos. A partir do ano 2009 observou-se crescimento da produção científica com maior volume entre os anos 2015 e 2017. O maior número de intervenções encontradas na literatura foi para pacientes com diabetes (46,31%). As intervenções mais utilizadas foram a ‘face a face’ (46,3%), por chamada telefônica (31,6%) e a digital (26,3%). A América do Norte destacou-se no número de pesquisas com 68,4% das publicações, seguida pela Europa, com 14,7%. Dentre os estudos, a maioria (63,2%) utilizou apenas um tipo de intervenção. Métodos de intervenções tradicionais foram mais empregados para promover a adesão às terapias anti-hipertensivas e antidiabéticas, embora o uso de tecnologias digitais desponte com uma tendência para melhorar esses comportamentos de saúde. Finalmente, conclui-se que a adesão de diabéticos e hipertensos à terapia medicamentosa permanece um desafio ao sistema de saúde.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.programPromoção da Saúde (Mestrado)pt_BR
dc.publisher.initialsUNICESUMARpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::INTERDISCIPLINARpt_BR
Aparece nas coleções:PROMOÇÃO DA SAÚDE

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
JULIO DE SOUZA SÁ.pdf5.49 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.