EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica VI EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (27 a 30 de Outubro de 2009)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/5577
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorCARNIATTO, Caio Henrique de Oliveira-
dc.creatorBABÁ, Adriane Yumi-
dc.creatorROSADO, Fábio Rogério-
dc.date.accessioned2020-04-09T20:31:51Z-
dc.date.available2020-04-09T20:31:51Z-
dc.date.issued2009-10-27-
dc.identifier.isbn978-85-61091-05-7-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/5577-
dc.description.abstractAtualmente, a maioria dos zoológicos não trata adequadamente seus animais, onde o animal cativo serve apenas como exposição e com fins turísticos; não são oferecidos estímulos necessários para diminuir o tempo ocioso, doenças como estresse e obesidade e não há controle quanto à contaminação de endo e ectoparasitas. O manejo inadequado, aliado a uma má alimentação e a falta de acompanhamento veterinário, acarreta em comportamentos estereotipados; Em estudos com animais cativos, não há parâmetros a serem seguidos, pois cada animal tem personalidade e temperamento distintos, e os recintos variam de jaulas fechadas a campos abertos, influenciando no comportamento do animal. Técnicas como enriquecimento ambiental enriquecem o recinto, promovem diversificação alimentar e visam entreter o animal cativo através de brincadeiras e dificuldades propostas, podendo até estimular a reprodução. Este estudo trabalhou com os Leões (Panthera leo) e Pumas (Puma concolor) do Parque do Ingá, criando um ambiente interativo e complexo, permitindo aos animais apresentar um comportamento natural através de desafios e novidades. Foram simuladas situações que ocorreriam na natureza, oferecendo ao animal a oportunidade de escolha e controle de seu ambiente. A metodologia consistiu na utilização de caixas de papelão, coco seco, cordas de nylon e canela, estimulando os animais a se movimentar, aumentando seu período de atividade por curiosidade ou por fome. Concluí-se que as fêmeas de ambas as espécies demonstraram maior interesse ao enriquecimento ambiental e alimentar, devido ao hábito de serem as fêmeas que protegem a prole e serem mais ativas e curiosas em relação aos machos.pt_BR
dc.languagepor-
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectComportamentopt_BR
dc.subjectEstressept_BR
dc.subjectFelinospt_BR
dc.subjectZoológicopt_BR
dc.titleENRIQUECIMENTO AMBIENTAL COM FELINOS EM CATIVEIRO DO PARQUE DO INGÁpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.initialsUNICESUMAR-
Aparece nas coleções:VI EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (27 a 30 de Outubro de 2009)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
caio_henrique_oliveira_carniatto.pdfTrabalho apresentado no VI Encontro Internacional de Produção Cientifica (27 a 30 de outubro de 2009)173.44 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.