EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica VII EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (25 à 28 de Outubro de 2011)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/4959
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorSOUZA, Bianca Gregório de-
dc.creatorAZEVEDO, William de-
dc.creatorÁLVARES, Alessandra Aparecida Alça-
dc.creatorBALANI, Valério Americo-
dc.creatorLEONARDO, Jussara Maria Leite Oliveira-
dc.date.accessioned2020-02-07T20:40:17Z-
dc.date.available2020-02-07T20:40:17Z-
dc.date.issued2011-10-25-
dc.identifier.isbn978-85-8084-055-1-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/4959-
dc.description.abstractAs hemoparasitoses são doenças causadas por microrganismos de grande importância na Medicina Veterinária e também em Saúde Pública, das quais podemos destacar a erliquiose por se tratar de uma zoonose emergente. Seu agente etiológico é a Ehrlichia canis, uma bactéria gram-negativa, que tem vida estritamente intracelular. A transmissão para os cães ocorre através da picada do carrapato Rhipicephalus sanguineus, conhecido como carrapato marrom do cão, levando à ocorrência de manifestações clínicas que variam no Brasil e podendo, ocasionalmente, parasitar outros hospedeiros incluindo os seres humanos. O sucesso do tratamento depende do diagnóstico precoce, em que é utilizada a técnica de visualização da mórula de Ehrlichia canis no sangue periférico, entretanto um estudo realizado em Maringá com esta técnica não encontrou nenhum resultado positivo. A técnica de Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) tem sido utilizada para diagnosticar em cães suspeitos desta doença, entretanto, não há estudos na região de Maringá. O presente projeto teve por objetivo obter resultados, que comprovem a prevalência real da erliquiose, utilizando os casos sugestivos da doença, pela presença de sinais clínicos e trombocitopenia. Foram avaliados pela técnica de PCR amostras do sangue de 84 (oitenta e quatro) cães suspeitos de estarem infectados e que seriam tratados como portadores da hemoparasitose. Concluiu se que os resultados dos exames indicaram que 25,3% dos machos foram negativos e 27,7% foram positivos, enquanto nas fêmeas 22,9% foram negativas e 24,1% foram positivas, totalizando o número de 51,8% animais positivos para Ehrlichia, que no quadro final o total de animais positivos foi praticamente o mesmo dos animais negativos, demonstrando-nos a estabelecer um diagnóstico definitivo é fundamental para estabelecer o tratamento adequado dessa enfermidade.pt_BR
dc.languagepor-
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectE. canispt_BR
dc.subjectPCRpt_BR
dc.subjectTrombocitopeniapt_BR
dc.titlePREVALÊNCIA DE ERLIQUIOSE EM CÃES COM TROMBOCITOPENIA ATENDIDOS NO HOSPITAL VETERINÁRIO – CESUMARpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.initialsUNICESUMAR-
Aparece nas coleções:VII EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (25 à 28 de Outubro de 2011)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
bianca_gregorio_de_souza.pdfTrabalho apresentado na modalidade comunicação oral no VII EPCC Encontro Internacional de Produção Científica (25 a 28 de outubro de 2011)106.62 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.