01 - CAMPUS MARINGÁ 1. TCC NUTRIÇÃO
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/377
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorSANTOS, Nathália Gonçalves dos-
dc.date.accessioned2018-03-07T19:08:54Z-
dc.date.available2018-03-07T19:08:54Z-
dc.date.issued2017-12-01-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/377-
dc.descriptionArtigo apresentado ao curso de graduação em Nutrição da UniCesumar – Centro Universitário de Maringá como projeto de pesquisa, sob a orientação da Prof. Me. Ana Paula Gerin Fanhani e Co – orientação da Prof. Me. Lydiana Pollis Nakasugi.pt_BR
dc.description.abstractO aumento da população idosa tem se expandindo em nível mundial, devido a queda das taxas de mortalidade e de fecundidade e aumento da expectativa de vida, tanto que a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera o período de 1975 a 2025 como a era do envelhecimento. No Brasil, estudos mostram que a população idosa passará de 8,6% em 2000, para 15% em 2020. Há uma apreensão ainda maior, em relação às mulheres idosas, pois apresentam maior probabilidade de ficarem viúvas e em condições econômicas desvantajosas, além de que, apesar de terem expectativa de vida maior do que os homens, a debilitação biológica que sofrem é maior, portanto essa predominância da população idosa feminina tem repercutido na demanda de políticas públicas. Mudanças sistêmicas fazem parte do envelhecimento, essas mudanças acabam resultando em vários graus de declínios na eficiência e na funcionalidade. A desnutrição é de grande preocupação, principalmente em idosos hospitalizados, pois está associado às doenças que afetam essa faixa etária e causa uma piora do prognóstico, já que esta deprime o estado imunológico. Atualmente tem-se aumentado o número de internações de idosos em regime ambulatorial, e consequente aumento da preocupação quanto à nutrição destes, a fim de evitar a desnutrição e reduzir o tempo hospitalar, para tanto, muitos idosos são submetidos á terapia nutricional, sendo a mais comum e indicada à nutrição enteral, por obrigatoriedade devida alguma alteração do trato gastrointestinal e ingestão menor de 60% do total calórico ou então negação de se alimentar via oral.pt_BR
dc.languagepor-
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectNutrição enteralpt_BR
dc.subjectDesnutriçãopt_BR
dc.subjectIdosospt_BR
dc.subjectInternaçãopt_BR
dc.titleAvaliação nutricional de mulheres idosas em terapia nutricional internadas em um hospital público da cidade de Maringápt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.contributor.advisor1NAKASUGI,Lydiana Pollis-
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.initialsUNICESUMAR-
Aparece nas coleções:NUTRIÇÃO

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Nathalia Gonçalves dos Santos.pdfpdf1.11 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.