EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica XI EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (29 à 30 de Outubro de 2019)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/3685
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorCIOTTA, Simone Rocha-
dc.creatorHODAS, Fabiane-
dc.creatorZORZENON, Maria Rosa Trentin-
dc.creatorRASPE, Djéssica Tatiane-
dc.creatorMILANI, Paula Gimenez-
dc.creatorCOSTA, Silvio Claudio da-
dc.date.accessioned2019-12-30T19:44:50Z-
dc.date.available2019-12-30T19:44:50Z-
dc.date.issued2019-10-29-
dc.identifier.isbn978-85-459-1960-5-
dc.identifier.issn2594-4991-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/3685-
dc.description.abstractStevia rebaudiana é um arbusto perene pertencente à família Asteraceae e além de conter adoçantes naturais, possui também uma mistura complexa de compostos de baixo peso molecular dentre eles fenólicos, terpenóides e flavonoides, os quais apresentam propriedades antioxidantes e tornam extratos de Stevia possíveis como aditivos alimentares. Sendo assim o objetivo deste trabalho foi avaliar por meio da simulação da digestão in vitro em diferentes condições (boca, estômago e intestino), a biodisponibilidade de compostos fenólicos e a atividade antioxidante dos extratos metanólico livre e microencapsulado obtido das folhas de Stevia rebaudiana. Foram simuladas separadamente cada condição de digestão (boca, estômago e intestino) com o extrato metanólico livre e com o microencapsulado, das quais foram retiradas alíquotas e destas foram analisados o teor de compostos fenólicos totais bem como a atividade antioxidante. Resultados mostraram uma maior biodisponibilidade de compostos fenólicos para o extrato metanólico microencapsulado em todas as condições de digestão analisadas. Quanto à atividade antioxidante, não foram notadas perdas ao se comparar o extrato livre e microencapsulado em ambas as condições do estômago. Nas demais condições, notou-se uma maior atividade antioxidante das microcápsulas, o que sugere que de fato a microencapsulação foi efetiva no impedimento de degradação dos compostos bioativos durante o processo de digestão in vitro, podendo ser considerada eficiente na proteção desses compostos visando a possível incorporação destes à alimentos funcionais.pt_BR
dc.languagepor-
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectAtividade antioxidante de extrato de steviapt_BR
dc.subjectBiodisponibilidade de extrato de steviapt_BR
dc.subjectBiodisponibilidade de compostos fenólicospt_BR
dc.titleDIGESTIBILIDADE IN VITRO DE EXTRATO METANÓLICO MICROENCAPSULADO DE STEVIA REBAUDIANApt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.initialsUNICESUMAR-
Aparece nas coleções:XI EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (29 à 30 de Outubro de 2019)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Simone Rocha Ciotta.pdfTrabalho apresentado na modalidade painel no XI Encontro Internacional de Produção Científica (29 a 30 de outubro de 2019)306.36 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.