EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica IX EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (03 à 06 de Novembro de 2015)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/3037
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorSALES, Camila Cristiane Formaggi-
dc.creatorSILVA, L ais Fernanda Ferreira da-
dc.creatorGARCIA, Sara Cristina Fogaça Duartes-
dc.creatorSANTANA, Cleiton José-
dc.creatorREIS, Lúci a Margarete dos-
dc.creatorOLIVEIRA, Magda Lúcia Félix de-
dc.date.accessioned2019-11-25T19:15:04Z-
dc.date.available2019-11-25T19:15:04Z-
dc.date.issued2015-11-04-
dc.identifier.isbn978-85-8084-996-7
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/3037-
dc.description.abstractO presente estudo objetivou classificar o risco social de famílias de usuários de drogas de abuso internados por trauma físico. Estudo exploratório-descritivo, realizado na cidade de Maringá –Paraná –Brasil, com amostra de casos considerados eventos sentinela para a vigilância epidemiológica das repercussões do uso de drogas na saúde, originários do Centro de Controle de Intoxicações do Hospital Universitário Regional de Maringá. O descritor da captura e investigação dos eventos sentinela foi Internação hospitalar por diagnóstico de trauma associado à intoxicação por drogas de abuso . Foram investigados 30 eventos sentinela, a partir de um familiar como informante-chave. Os instrumentos de coleta de dados foram um roteiro para entrevista semiestruturada, com questões para caracterização sóciodemográfica e econômica do entrevistado e sua família, e a Escala do Risco Familiar de Coelho e Savassi. Os familiares eram mulheres (26 –86,7%), com idade entre 19 a 78 anos (51,9 ± 16 anos), e algumas dessas mulheres (14 -46,7%) eram mães do usuário de droga, sendo que sete delas se encontravam em situação de “chefe da família”. O álcool foi a droga referida pela maioria dos eventos sentinela à internação hospitalar, confirmado por critérios clínicos ou laboratoriais (28 –93,3%), mas 13 deles faziam uso associado de várias drogas -álcool, maconha e crack (9), álcool e maconha (2), álcool, maconha, cocaína/crack (2). Metade dos usuários fazia uso diário da droga de abuso e realizavam manobras ilícitas para aquisição da droga; sete mendigavam e dois “trabalhavam” em troca de droga. A análise dos dados e a pontuação dos escores para a Escala de Risco Familiar 19 famílias identificadas com algum nível de risco social, sete (23,3%) foram categorizadas como R1 ou Risco menor , três (10%) como R2 ou Risco médio e nove (30%) como R3 ou Risco máximo.pt_BR
dc.languagepor-
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectCentros de controle de intoxicaçõespt_BR
dc.subjectVigilância de evento sentinelapt_BR
dc.subjectIntoxicação por drogas de abusopt_BR
dc.subjectCuidados de enfermagempt_BR
dc.titleRISCO FAMILIAR DE USUÁRIOS DE DROGAS DE ABUSO INTERNADOS POR TRAUMA FÍSICOpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.initialsUNICESUMAR-
Aparece nas coleções:IX EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (03 à 06 de Novembro de 2015)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
camila_cristiane_formaggi_sales_2.pdfTrabalho apresentado na modalidade painel no IX Encontro Internacional de Produção Científica (03 a 06 de novembro de 2015)294.58 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.