EVENTOS EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica IX EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (03 à 06 de Novembro de 2015)
Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/2434
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.creatorAGUIAR, Claudinei Rodrigues de-
dc.date.accessioned2019-09-12T17:34:33Z-
dc.date.available2019-09-12T17:34:33Z-
dc.date.issued2015-11-03-
dc.identifier.isbn978-85-8084-996-7-
dc.identifier.urihttp://rdu.unicesumar.edu.br/handle/123456789/2434-
dc.description.abstractNos últimos anos o GNSS (Global Navigation Satellite System) além de se tornar a principal tecnologia para o posicionamento e navegação, também se firmou como uma importante ferramenta para o monitoramento da atmosfera terrestre, com destaque à troposfera e ionosfera. No Brasil, estudos e pesquisas vêm sendo realizadas sobre o efeito da ionosfera sobre os sinais GNSS na banda L, bem como o potencial desse sistema no monitoramento e, consequentemente, sua aplicação no estudo do Clima Espacial e na modelagem da dinâmica da ionosfera. Devido à natureza dispersiva da ionosfera a mesma provoca um erro sistemático nos sinais GNSS. A magnitude deste erro é diretamente proporcional ao TEC (Total Electron Contentes), no caminho que os sinais percorrem entre as antenas do satélite e do receptor, e inversamente proporcional ao quadrado da frequência do sinal. Na Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Apucarana, vem sendo desenvolvido um projeto para o monitoramento e modelagem ionosférica em tempo real, a partir de rede de estações de referência equipadas com receptores GNSS NTRIP (Networked Transport RTCM via Internet Protocol) de dupla frequência. Neste contexto, pode-se citar as redes GNSS do Estado de São Paulo (Rede GNSS SP) e a Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo do GNSS (RBMC), as quais disponibilizam os dados em tempo real. Um algoritmo baseado no Filtro de Kalman foi desenvolvido para a modelagem da ionosfera em regiões de baixa latitude e estimativa do TEC (Total Electron Contents). Nesse algoritmo o atraso ionosférico vertical é modelo por uma série de Fourier bidimensional. Recentemente, também foi desenvolvido um modelo baseado no conceito de grade ionosférica virtual. O modelo desenvolvido de forma pioneira no Brasil é denominado de Grade Ionosférica Brasileira (GIB). Este trabalho apresenta alguns resultados obtidos com o GIB.pt_BR
dc.languagepor-
dc.publisherUNIVERSIDADE CESUMARpt_BR
dc.rightsAcesso Aberto-
dc.subjectGNSSpt_BR
dc.subjectIonosferapt_BR
dc.subjectTempo Realpt_BR
dc.titleSISTEMA GLOBAL DE POSICIONAMENTO POR SATÉLITES (GNSS) APLICADO AO MONITORAMENTO DA IONOSFERA EM TEMPO REALpt_BR
dc.typeArtigopt_BR
dc.publisher.countryBrasil-
dc.publisher.initialsUNICESUMAR-
Aparece nas coleções:IX EPCC - Encontro Internacional de Produção Científica (03 à 06 de Novembro de 2015)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SISTEMA GLOBAL DE POSICIONAMENTO POR SATÉLITES (GNSS) APLICADO AO MONITORAMENTO DA IONOSFERA EM TEMPO REAL.pdfTrabalho apresentado na modalidade comunicação oral no IX Encontro Internacional de Produção Científica (03 a 06 de novembro de 2015)1.11 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.